Revista Fratura Rock
Publicidade
Nossa Localizacao
São Paulo/SP
Deep Purple, Cheap Trick & Tesla (Allianz Parque, São Paulo, 13/12/2017) Reportagem: Aparecido Lelis
14/12/2017

Deep Purple, Cheap Trick & Tesla (Allianz Parque, São Paulo, 13/12/2017)

Reportagem: Aparecido Lelis

 

Neste mês de dezembro, as bandas Deep Purple, Cheap Trick e Tesla fazem três shows no Brasil, nos dias 12, 13 e 15, respectivamente em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, no formato de festival chamado "Solid Rock". O festival é uma viagem por várias décadas do rock: as guitarras do Deep Purple que ajudaram a fundar o metal, o hard setentista do Cheap Trick e oitentismo do Tesla.

Deep Purple, que completará 50 anos de atividade em abril 2018, é considerado um dos pioneiros do heavy metal e do hard rock moderno. Seus atuais integrantes são Ian Gillan (vocal), Ian Paice (bateria), Roger Glover (baixista), Steve Morse (guitarra) e Don Airey (teclado). No final de 2016, a banda anunciou que "The Long Goodbye Tour", seria a sua turnê de despedida. Causou estranheza o anúncio da despedida do Deep Purple, justamente num momento de intensa produção. Nos últimos anos, a banda lançou dois discos de estúdio.

É difícil imaginar que o grupo inglês, responsável por construir gerações e mais gerações de amantes do Rock 'n Roll em todo o mundo, ao tocar os primeiros acordes no show desta quarta-feira (13), esteja começando a se despedir dos fãs de São Paulo. Isto porque a banda conta com uma enorme legião de fãs no Brasil, um país que o Deep Purple parece adorar de verdade, porque os números provam isso: a turnê de dezembro 2017 será a 12ª  no país, o que faz dele  o grupo de rock que mais vezes esteve por aqui.

Durante o primeiro show do "Solid Rock", realizado na Argentina na última 4ª feira (6.12), o Deep Purple manteve o mesmo repertório dos shows anteriores, realizados na Europa. As exceções foram algumas músicas do novo disco, "Infinite" (considerado um dos melhores de 2017 pela revista “Classic Rock”), como "All I Got Is You", "The Surprising" e "Time For Bedlam". Assim, clássicos que não estavam em sets anteriores, verdadeiros hinos para os amantes do Rock’n’Roll, acabaram entrando no lugar, como "Strange Kind Of Woman" e "Highway Star", “Burn” e “Smoke on the Water”.

A banda Cheap Trick, com mais de 40 anos de estrada, tem como integrantes Robin Zander (vocalista), Rick Nielsen (guitarrista), Tom Petersson (baixista) e Daxx Nielsen (baterista), vem ao Brasil pela primeira vez e com a  ingrata missão de substituir o Lynyrd Skynyrd.

Por ser uma apresentação dentro de um festival, o repertório trazido para a América do Sul é um pouco menor do que o dos shows da banda realizados em turnê pelos Estados Unidos, e inclui em sua maioria músicas do segundo álbum do Cheap Trick, "In Color".

Por ser o responsável pela abertura do festival, o repertório do Tesla deve ser o mais curto. A banda tocou na Argentina apenas 7 músicas, mas, como de praxe a performance de "Love Song" teve a sua introdução estendida.

 

Os Shows

Por volta de 10 da noite, a banda Deep Purple subiu ao palco, para mostrar a que veio nos primeiros acordes de “Highway Star”, já incendiando a galera na abertura com este clássico do marcante álbum Machine Head, de 1972.

Na sequência, “Pictures Of Home”, também do album “Machine Head”, que teve quase todos os seus clássicos executados. Depois, “Bloodsucker”, que raramente é incluída nos setlists. A empolgante “Strange Kind Of Woman” fez a galera vibrar, cantando junto com a banda. “Uncommon Man”, do penúltimo álbum, veio em seguida, fazendo uma homenagem a Jon Lord. E dá lhe mais  do álbum Machine Head, com “Lazy”, seguida de Birds Of Prey”, do novíssimo e elogiado álbum “Infinite”. Desse álbum, a lamentar apenas que as ótimas “Time For Bedlam” e “All I Got Is You” tenham ficado de fora.

Veio então “Knocking At Your Back Door”. Depois, Don Airey executou uma rapsódia, tocando desde Bach ao metal, passando por Tico Tico no Fubá e Aquarela do Brasil, até terminar em “Perfect Strangers”. A galera vibrou com “Space Truckin´” e, a seguir, veio aquele momento mágico com “Smoke On The Water”, enlouquecendo os fãs com este mega-hit.

A empolgação geral se manteve com a chegada do bis, primeiramente com “Hush”, seguida de “Black Night”, fechando a noite de uma apresentação incrível e impecável. Uma noite que os fãs não queriam que terminasse, pois foi um showzaço!!

Uma banda que consegue manter ao longo de quase 50 anos, o padrão de qualidade que o Deep Purple entregou nesta noite de quarta-feira no Allianz Parque, merece a ovação que o quinteto inglês recebeu da galera ao final do show.  Com riffs poderosos, solos improvisados e o teclado pesado, mostraram uma ótima forma e grande entrosamento, resultado da longa turnê, com mais de 40 shows na Europa.

Como os veteranos mais uma vez deram conta do recado para esse público exigente e saudosista, mostrando que ainda tem muita lenha pra queimar, resta agora esperar agora que a despedida não passe de jogada promocional. Steve Morse, o guitarrista, confirma que “The Long Goodbye Tour” seja mesmo o adeus da banda, mas a aposentadoria não é cravada pelos demais integrantes da banda, renovando as esperanças de que a turnê ainda se prolongue por mais alguns anos. Que assim seja!

 

 

Eram oito da noite quando o Cheap Trick subiu ao palco. Com um show direto e sonoridade característica, o grupo mostrou seu som no estilo clássico do rock, quatro caras tocando o mais alto que podem. Funcionou bem, e o grupo mostrou muito boa interação com a plateia.

Entre os momentos clássicos da apresentação, estão o convite ao vocalista do Tesla, Jeff Keith, para participar da faixa "She's Tight", e conseguiu empolgar uma parte considerável da audiência com a famosa “I Want You to Want  Me”. Outro ponto alto, além do hit “Surrender”, que faz parte da trilha dos Guardiões das Galaxias 2, foi uma versão de “Waiting For The Man”, do Velvet Underground, cantado pelo baixista Tom Petersson.

O guitarrista Rick Nielsen, que troca de guitarra a cada música, interage bem com a plateia, com seu estilo excêntrico, engraçado. “Esta é uma do nosso último álbum, então ninguém aqui conhece”. Já o vocalista Robin Zender, fazia o tipo quietão, mas ainda canta muito bem.

Uma estreia sem maiores expectativas, mas, por ter apresentado um rock de primeira, o Cheap Trick deve ter conseguido muitos novos fãs.

 

 

Com um público ainda bem pequeno e antes do pôr do sol, a banda  californiana de hard rock Tesla subiu ao palco para fazer a sua estreia em terras brasileiras. E a banda conseguiu mostrar a que veio, e que domina o hard rock oitentista, seus refrãos e vocais, num show honesto e competente.

 

Fonte: Fratura rock
21:00 as 21:00
Publicidade
Peça a sua música!
Envie seu Pedido Musical preenchendo todos os dados abaixo:
Atendimento
Rua Falchi Gianini - São Paulo/SP
Ligue agora
(11) 2021-8391
Horário de atendimento
08:00 AS 18:00 HS